Mãezinha, eu sei que em breve irá partir
Sei que vai rumo à eternidade
Em nossos corações vai deixar
Uma eterna saudade
Mãezinha, eu sei que precisas ir
Chegou o dia e o Senhor ti chamou
Porque uma vida inteira 
O nome dele sempre falou
Mãezinha, a vida vai ser difícil sem você
Nesse mundo nunca vamos te esquecer
Aqui foi uma eterna guerreira
Por nós lutou, venceu e ganhou o troféu.
A sua missão aqui já terminou
Mãezinha, antes que vá embora
Um pedido eu te faço agora
Para levar contigo até o céu
Mãezinha, antes que vá embora
Um pedido eu te faço agora
Para levar contigo ate o céu

Mãezinha, quando chegar lá na eternidade
Vai sentir só alegria em seu coração
E quando atravessar o portão
Sei que vai encontrar somente luz
Vai ver nossa Senhora e o Senhor Jesus
A sua frente terá sua presença
E ele vai passear contigo no céu
E vai te apresentar ao meu Deus
Entregue a eles minha lembrança.
E ele vai passear contigo no céu
E vai te apresentar ao meu Deus
Entregue a eles minha lembrança.
Por Antonio Carlos Ramos
Veja também:

Numa dessas madrugadas fria
Eu chorava de paixão
Por um alguém que foi embora
Ferindo o meu coração
Sem dormir eu ficava a noite inteira
A lua era minha companheira
Era eu e ela e o meu violão

Sei que um dia pelo sol ela se apaixonou
Mas nunca viveu uma noite de amor
Para como eu poder recordar
A felicidade para ela talvez não exista
Pode parecer que está sempre triste
Mas alguém como eu ela vive a consolar

Na noite ela surge com seu manto de prata
Muitas vezes me acompanhou numa serenata
Só partia quando o sol começava aparecer
Com o sol ela nunca se encontrou
Mas sempre dividiu o céu com muito amor
Ela fez de mim um sonhador
Mostrou-me que mesmo só, vale a pena  viver.
Por Antonio Carlos Ramos
Veja também:

Quando acordei pela manhã
Um novo dia começava nascer
O cantar dos passarinhos anunciava
A chegada de um lindo amanhecer
Olhei através da janela
O sol entre os montes começava aparecer
Ergui os olhos para o céu
E comecei agradecer

Agradecer por mais um lindo dia 
E estar ali para contemplar
Pela mansa brisa do amanhã 
Que veio me acompanhar
E um rio de água cristalina 
Que corre dia e noite sem parar
O ar que respiro o vento que não vejo
Mas sinto o meu rosto tocar

Assim é o Senhor na minha vida
Os meus olhos não pode alcançar
Mas sinto sua presença
Aonde vou, em qualquer lugar
Ele fez de mim o seu templo
Em meu coração veio morar
Hoje sinto a alma renovada 
E o seu nome vivo a louvar
Por Antonio Carlos Ramos
Veja também:

Um dia me sentindo tão sozinho
Por uma estrada eu caminhava
Sem rumo, sem destino
Sem saber o que procurava
Sentia que o meu mundo era vazio
E que alguma coisa me faltava
Depois de tanto caminhar 
Cheguei numa encruzilhada

Havia ali dois caminhos
E sem saber qual deles seguir
E o senhor apareceu
Por mim veio decidir
Mostrou-me um caminho de luz
E um lindo jardim a florir
Mandou a tristeza embora
E eu voltei a sorrir

Não havia mais esperança
Quando ele me encontrou
Eu estava perdido
Um novo caminho me mostrou
Encontrava-me num cativeiro
E ele me libertou
Hoje eu vivo feliz
Louvando o nome do senhor
Por Antonio Carlos Ramos
Veja também:

Quando um novo amanhã chegou
Eu estava dormindo e não vi o sol nascer
Acordei e deixei na cama as decepções
E as lágrimas que o travesseiro absorveu
Sei que a metade do meu dia já se foi
Momentos que deixei de viver
Vejo um dia com nuvens cinzentas
E o sol querendo se esconder
Relâmpagos que propaga no espaço
Anunciando que em breve irá chover

Não ouço nenhum pássaro cantando
Mas da janela vejo um lindo jardim
As flores estão todas alegres
Com o vento bailando e sorrindo pra mim
Quase esquecido está o meu ontem
O meu hoje em breve chegará ao fim
Ainda encoberto está o amanhã
Poderei não ter outra chance assim

Sentado na minha cadeira
Sozinho então começo a pensar
Vejo uma multidão indo e vindo
Lutando para os seus ideais realizar
Muitos estão alegres e outras tristes
Que daria tudo para estar em meu lugar
Antes que o dia termine
Ainda há tempo para sorrir e sonhar
Se não houver outro amanhã
Hoje pelos meus sonhos vou lutar
Amanhã poderei estar dormindo
E desse sono não mais acordar.
Por Antonio Carlos Ramos

Veja também: 

Pesquisar conteúdos