Livre para sempre

Não queira ser como a rosa cravejada de espinhos
Que nasce na cidade grande presa em grades
Aos olhos de quem não entenda sua beleza
E no leito da tua morte
Ser compartilhada a sorrisos falsos com juras de amor
Por quem nunca entendeu sua dor.
- Nelson Martins

Amigo Brasedo 

Masca o arisco brasedo
No lusco-fusco
Penso na china veia
Me esperando 
Sou taura temporão
Corto o Pampa
Com meu mangaço
Indio levado 
Pelo Brasedo
Sinto renguear-cusco
Me agarro
Na crina arisca
Rumo ao rancho
Quero um gole
De canha
E um abraço
Dos criaredos
Escuta meu coração
Neste canta chão.
- Nelson Martins

Eu sou assim mesmo...
20% loucura
30% lucidez
50% poesia!
- Nelson Martins

Fé, esperança e amor

As pessoas com muita fé e esperança
Conseguem vencer e alcançar seus objetivos
Fé é acreditar; Em Deus, em si mesmo
Para ter fé é preciso ter esperança.
Amor e força de vontade... Pensamento positivo
Nas histórias de vida das pessoas
Muitas vezes houve situações
Que foi possível perceber a vivência da fé
A vivência da fé se dá quando
Conseguimos e vencemos.
Na vida de hoje, violenta, agitada, estressante
Má humorada individualista é preciso... Ter fé!
Mais que tudo, ter Deus no coração.
- Nelson Martins

Uma flor de amor – perfeito

No gueto ao lado de um valão
Um boque de flor jogado
Ratos, lixos em meio às pétalas
Ainda solta seu perfume
Num último suspiro

Tiros, crianças, correrias
Armas e egoísmo a pisar-lhes.
Seca perante seus olhos
Vem a chuva e o dilúvio a leva

Não é uma erva, tem vida própria 
Ali semente brota! Uma flor sofrida
Buscando o amor – perfeito no gueto.
- Nelson Martins

Frágil árvore 

Em meio a tanto verde
em uma pequena praça
Uma árvore se destaca
com seu rosa imponente
Parei por um minuto
E a admirei sua beleza
Cada segundo
Em meus olhos parecia infinito
Em meio a tantos raios e espadas
Contra ferros e pedras
ela tão frágil, luta indefesa
Antes era ela que fazia sombra para
os pássaros, para os casais.
Hoje ela anda tão solitária...

Que a tempo, nem vê mais o calor do sol
Que se esconde atrás
das grandes construções.
- Nelson Martins

Suspiro de um poeta 

Pedi a virgindade
Perdi a juventude
Perdi o bigode
Pedi o cabelo
Perdi a audição
Perdi a visão
Perdi o olfato 
Pedi o amor
Perdi a casa
Perdi a rua
Perdi o endereço
Perdi o nome
Perdi o bom humor...

Só não perdi...
Os sentidos!
- Nelson Martins

O amor é cego

O amor é cego.
Não vê os diversos caminhos...
Espreita o beco.
É como o gato.
Que admira a lua à noite.
Atrás da gata no telhado...
Mia mia, miau.
E quando ela vem.
O amor rompe a barreira,
do silêncio...
É unha é dente.
É fogo é suor.
É sexo animal!
- Nelson Martins

O amor é puro...

O amor é puro, ódio
É pura loucura
É pura felicidade

O amor é flor
Com perfume intenso
Que respiro
É rosa linda
Com espinhos
Que penetram
E me cortam

O amor é puro osso
É pura carne em chama
Quando dois corpos se encontram
Na mesma cama
É sexo é amizade é carinho

O amor é puro... Puro... Puro... Puro... Prazer.
- Nelson Martins

Eu aprendi!

Que o leite não pode derramar
Que o amor não pode acabar
Que a criança não pode chorar
Que a poesia não pode terminar
Que o sonhador não pode parar de sonhar
Que o mar não pode secar
Que o tempo passa sem parar
Que o planeta não para de girar
 Aprendi 
Que nada é tão eterno
Assim como nossos sentimentos!
- Nelson Martins

Pesquisar conteúdos